sexta-feira, junho 12, 2015

Sobre afeto, amor, compartilhamentos: hoje é o sexto



12/06/2015 é um dia em que os diversos casais se dedicam a demonstrar toda a teia de sentimentos que os cercam, são desejos, agradecimentos, mimos e distintas formas de carinho. Não fugirei a regra. 

Hoje celebro o sexto dia dos namorados compartilhado com Ulisses e a cada ano tem sido mais divertido e porque não difícil construir estratégias para demonstrar o afeto, amor e toda forma de sentimentos que compartilhamos, divertido porque buscamos proporcionar risos e novidades um ao outro e difícil  justamente porque buscamos proporcionar risos e novidades um ao outro, tentando superar em alguma medida cada ano, tentando acrescentar um ponto de tinta na aquarela.  

É certo que ao longo dos anos, meses e dias procuramos a todo momento demonstrar a teia de sentimentos e não somente nesta data, temos uma dinâmica que valoriza a exposição do que se sente, a construção de novas formas de amar e isso me faz muito bem. 

Dito isso, ficam os desejos de que o sétimo possa ser marcado por mais sorrisos, aprendizados e inovações.

Amo nos ter!!!!

 

Das delicias de ser...

Há alguns anos decidi parar de usar químicas no meu cabelo, uma atitude motivada por uma colega de universidade, por meio da doação de fibras sintéticas e da ideia de trançar o cabelo. 

Inicialmente, recebi a doação mas não levei muito a sério, não fiz esforço para concretizar a proposta, posteriormente ao compartilhar a ideia com minha mãe, fui estimulada a finalmente trançar o cabelo. Em uma manhã de sábado fui para casa da amiga de minha mãe e após doze exaustas horas meu visual estava totalmente transformado. 

Tranças longas em tons dourados deram lugar aos fios curtos alisados e avermelhados feitos por uma cabeleireira que usou um produto diferente do que habitualmente usava e acabou por provocar um corte químico. As tranças ficaram lindas, mas talvez a trançadeira não tenha usado a melhor técnica e alguns dias depois as tranças soltaram. Uma vizinha também já havia adentrado no mundo das tranças e refez todo o trabalho, dessa vez ficou perfeito e já se vão quase 11 anos desde esses dois momentos. 

Após três meses, acabei de destrançar o cabelo e ao tocar meus fios crespos e perceber sua textura me sinto em sintonia com uma identidade autêntica e valorizando minhas raízes históricas. Nos últimos dois anos tenho exercitado deixar o cabelo alguns meses sem tranças para senti-lo e cuidar melhor de seu fortalecimento, tem sido uma verdadeira aprendizagem.

Marcada pelos padrões na minha memória de quando criança não lembro direito do exercício do toque dos meus fios com tamanho prazer, aos 11 anos ingressei no mundo das quimicas transformadoras, e se em muitos momentos isso fez minha auto estima crescer, hoje a clareza do quanto posso ser feliz comigo sem elas é engradecedora. 

Confesso que empreender cuidados por vezes é difícil, as vezes exige uma atenção e pesquisa, que nem sempre tenho paciência, mas o desejo de estar com um cabelo cada vez mais meu, cada vez mais real, cada vez mais relacionado com minha história familiar, permite que siga firme na aventura de ser e de me encantar com meus fios.


quarta-feira, junho 18, 2014

Lavagem da alma

Essa semana foi escolhida a dedo para estar com dois pedacinhos de minha história que me fazem muito bem.

Uma viagem planejada há dois meses, iniciada há 5 dias atrás e que tem muito a contar.

Vivências incríveis tem nos marcado e a alma/espirito/ser é tomada por uma vitalidade e energia fora do comum.

Hoje, frio, chuva, expectativas e disposição teceram nossas travessias por meio das Trilhas das Cataratas.

Entre gotas das caudalosas águas das Cataratas, gotas de chuva e muito vento, fomos saboreando o que reservamos para gente e o que a natureza em sua soberania nos permitiu aproveitar.

Por entre quatis, floresta, neblina e clicks fomos ao encontro da temida Garganta do Diabo. A pulsante energia das águas tomou conta de nossas roupas, cabelos e revitalizou nosso corpo. Viramos as gatas molhadas 2014, literalmente encharcadas.

Encantadas nos despedimos e fomos ao encontro do almoço já que em função do "mal tempo " o pulo de paraquedas foi novamente adiado.

Almoço árabe, fome grande, demora, olho maior que a barriga, deu sobra de comida. Rsrsrs!

Retornamos a pousada e logo mais tem passeio na Argentina.

Lavagem da alma ao lado de quem adoro a companhia.

Tãoo logo volto para escrever sobre o início da viagem.

segunda-feira, dezembro 09, 2013

Tempo

Ao decidir cortar algumas arestas virtuais eis que observo que há mais de oito meses não me dedico a escrita neste espaço. O tempo dedicado as escritas tem sido variado, mas a essa infelizmente acabou perdendo-se.
 
Observado o vazio que fora deixado, eis que me coloco a analisar os tempos  e espaços que tiveram minha atenção e concluo que em sua maior parte esteve a produção laboral. Percebo que este foi um ano de muito trabalho, tanto no âmbito do fazer profissional quanto acadêmico e que por vezes a reflexão necessária sobre si mesmo esteve encoberta.
 
Eis que hoje, há poucos dias do fim do ano, retomo a escrita. Ensaiando novos passos, novas danças, novas vivências, olhando retrospectivamente a caminhada de 2013, sigo pensando nas perdas, nos ganhos, nos aprendizados e nas necessárias melhorias.
 
2013, constituiu-se em mais um ano singular.
 
Que o tempo de 2014 surja com novos efeitos e gostosos sabores na vida.
 
 

segunda-feira, abril 22, 2013

Habemus Mestra - Entre o real e o imaginário: problematizando o currículo do curso de Licenciatura em Pedagogia e a formação docente em relação a gênero e a sexualidade

Eu e a linda e charmosa Banca.

Pedacinhos da turma d@s 13.
Voinha, eu e Mamy: trio de linduras.

Apresentando a Taisotinha ao mundo.

Com my Luv: um brinde

O público


A dupla de mestres: os dois primeiros do PPGE

sábado, março 16, 2013

Tarde de fotos com Thayla e Thaylane



 
 




Momentos de sorrisos e resenhas matando as saudades de Thaylane e conhecendo Thayla.  

Pedacinhos de sessão de fotos das duas mocinhas lindas.

Em meio a tanta pressão e angustia para terminar a dissertação nada como dar uma pausa e passar horas ao lado de quem se ama.  Adoreiiii!

Amor de primas é bom demais.

80 décadas de força e sensibilidade


Ontem (15.03) minha rainha completou 80 anos de vida.

Iniciamos celebrando com um café da manhã super colorido e cheio das guloseimas que ela tanto gosta e com sorrisos e resenhas.

Passamos um dia em familia, fizemos bolo, decoramos e organizamos a festa que será amanhã.

Sou muito feliz por ter em minha história essa mulher tão especial e cheia de luz. Um exemplo de dignidade e amabalidade.

Que venham muitos outros anos.

Amooo demais minha Voinha Jovina!